Visita do VITOR


A visita do VITOR       
  
 
 
 
 
O membro mais novo da família
  
 
O que  é ?, está a fazer xixi. Como é órfão ou abandonado, necessita que lhe dêm de comer  
lhe façam a higiene, o tratem bem.
  
**2010-03-07 –  Estas fotos é o que ficará de mais perceptível da visita que o meu filho e a Ainãt nos fizeram neste dia. O resto, que é o principal, a visita em si mesma, será lembrada pela fotografia quando o tempo tiver dado lugar a outro tempo porque a visita será apenas uma entre outras que hão-de vir. Como são importantes os retratos para marcar os intervalos do tempo  e dos acontecimentos! Deste canto em que me encontro olho para um móvel onde estão várias fotografias e cada uma delas transporta-me ao momento e local em que essas imagens foram guardadas. É assim mesmo, as fotografias “apenas” servem para recordarmos os momentos que foram vividos e revive-los de novo com a mesma emotividade como se a idade até então decorrida não tivesse passado. São o arquivo dos instantâneos que a nossa memória guarda mas não consegue reproduzir com minúcia, sem que os nossos olhos vejam o momento exacto do “clique”,  então é mesmo assim naquele instante: como se o tempo não tivesse passado.
 
 A LUNA a fugir-nos
  

Neste tempo a Luna já estava doente mas ainda não tinha dado sinais objectivos para além daqueles que mostra aqui nestas fotos, mas a sua vivacidade não nos deixou perceber este olhar triste e abatido, e a sua musculatura a perder-se, a sua “carinha” a mirrar-se e a vida a fugir-lhe.  
2010-03-14
 E DAÍ UM PEQUENO PASSO DA VIDA PARA A MORTE

MEMORIAL DA SEMPRE QUERIDA LUNA

A LUNA teve uma vida muito breve, apenas quatro anos, mas teve muito amor, embora não tanto quanto deu. Por isso as saudades vão durar até ao fim dos nossos dias!

A-VIDA                      

       

 

20-04-2010                   O princípio do fim da LUNA

 

 

As visitas à clínica em que a Luna estava a tratar-se dava-nos sempre o ensejo de convivermos um pouco com ela passeando pelas redondezas. Era uma alegria embuida de tristeza pois a Luna já dava indicações da doença que a ia abatendo.

*************************                                   /\                              ******************************

Nos interregnos em que vinha para casa um pouco recuperada, recebia a visita dos amigos a quem dava e recebia carinhos.

 

Nós, a “família”, também recebíamos o seu olhar leal e amoroso que substituíam quaisquer palavras.

  

*********************************                L  ****************************************     

   

  

  Mas a Luna sabia que estava perto do fim. Sofria em silêncio. Nunca deu um latido. Nos seus olhos  transparecia uma tristeza tão profunda  que os nossos choravam pelos dela.   Querida Luna, por tudo que nos deste, amor, alegria, prazer, distracção, sempre que nós queríamos e tu incondicionalmente sempre disposta a responder, jamais deixaremos de te amar. Deste-nos muito mais do que te demos. Nós humanos sabemos isso mas não aprendemos a lição.Jamais te esqueceremos.

Mesmo antes de partires, minha amiga, já sabia como iria sentir a tua falta:

 LUNA  para sempre                                                                                                    

Que silêncio Luna, que quietude,

Que marasmo neste espaço

em que apenas se nota a diferença

da indiferença  do tempo que passa

sem nada se passar.

É a tua ausência Luna, minha fiel amiga,

que paira nesta sombria atmosfera

-quão breve foi a primavera 

em que ambos respirámos!-

e nada se faz notar.

Já não te tenho atrás da porta

Quando estou a chegar.

Vou para o quintal e tento acordar,

mas tudo na mesma: quintal igual.

Faltas-me tu, Luna, a correr, a saltar.

Olho os sítios aonde adoravas ir

e eu atrás de ti a brincar,

e tu cheia de alegria a fugir, 

cantinhos em que te deitavas a descansar

aonde eu te ia acariciar.

Falta a chama da tua presença no ar
para eu, de peito aberto, te  poder respirar
e tu atrás de mim sempre, sempre a brincar
   
2010-04-20
 
  Depois da  muito querida e inesquecível 
 
LUNA
Surge a pequenina e doce LIRA:
 2010.06.17 
  
  
 
 
 
 
 
                                                                                                
  
   
 Depois de se ter uma uma BOXER só outra lhe pode suceder.
 LIRA conquistará o seu lugar, mas a LUNA ninguém vai esquecer.
Anúncios

Sobre antonilourenco

Gosto: ler; cinema; blogs; futebol; outros desportos; viagens; de viver.
Esta entrada foi publicada em LUNA. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s